NORDESTE

Mancha de óleo nas praias do litoral do Piauí pode ser petróleo da Venezuela

O Ibama ainda faz contraprovas, a partir das amostras colhidas nas praias do Nordeste.

30/09/2019 - 20:09

A Petrobras encaminhou um laudo sigiloso ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA)  em que aponta a hipótese de ser venezuelano o petróleo que contaminou o litoral nordestino, incluindo seis praias do Piauí.

Desde o começo de setembro, manchas de petróleo passaram a ser notadas em praias do Nordeste e também no litoral piauiense. O balanço atualizado pelo Ibama no último domingo (29) mostra que o óleo foi detectado em 109 praias, localizadas em 54 cidades de oito estados.

Em sete dessas localidades, tartarugas ou aves morreram em razão da contaminação. As manchas atingiram, por exemplo, praia do Arrombado, o material foi encontrado em Atalaia, Peito de Moça, Coqueiro, em Luís Correia, além de Pedra do Sal em Parnaíba e Cajueiro da Praia.

Na nota divulgada pelo Ibama, o órgão informou que análise feita pela Petrobras mostrou que o petróleo encontrado é cru – ou seja, não é nenhum derivado de algum processamento – e que não foi extraído no Brasil.

O Ibama atribui a informação à estatal. A nota não informa, mas a Petrobras também mencionou que existe a hipótese de que o petróleo encontrado seja venezuelano. Não está claro como um petróleo extraído na Venezuela, cujo litoral está no Mar do Caribe, pode ter chegado ao Atlântico que banha a costa brasileira.

O Ibama ainda faz contraprovas, a partir das amostras colhidas, para saber se realmente não há petróleo brasileiro contaminando as praias.

Com informações Revista Época

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

error: Conteúdo protegido!!!