BRASIL

Lula sai da cadeia em Curitiba e ataca Moro e “lado podre” da PF e do MP

Por 6 votos a 5, o STF decidiu derrubar a possibilidade de prisão de condenados em 2ª instância.

8/11/2019 - 18:11

Ao sair da prisão, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva agradeceu aos integrantes do acampamento Lula Livre que, durante os 580 dias, estiveram na frente da carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

O petista disse que o apoio foi “o alimento para que ele pudesse lutar” contra o que chamou de “lado podre” do Ministério Público, da Justiça e da Polícia Federal. Segundo o político, essas instituições trabalharam para criminalizar a esquerda, o PT e ele próprio.

“Vocês eram o alimento da democracia que eu precisava para enfrentar o lado podre da Polícia Federal, o lado podre do Ministério Público Federal, o lado podre da Receita Federal e trabalhar pela esquerda. Eles tentaram criminalizar o PT e o Lula. Eu não poderia ir embora daqui sem cumprimentar vocês”, disse Lula.

“Vocês não tem dimensão do significado de eu estar aqui, junto com vocês. A vida inteira estive conversando com o povo brasileiro. Não pensei que, no dia de hoje, eu estaria aqui, conversando com homens e mulheres que ficaram aqui todos os dias gritando: ‘Bom dia, Lula. Boa tarde, Lula. Boa noite, Lula’. Não importa que estivesse chovendo, fazendo 40 graus , zero grau”, disse Lula, ao deixar a carceragem em Curitiba e discursar para centenas de pessoas que o aguardavam do lado de fora.

Lula se dirigiu diretamente ao ministro da Justiça e de Segurança Pública, Sergio Moro, que o condenou quando era juiz da Lava Jato.”Eu queria dizer ao ministro Sergio Moro que eles não prenderam um homem, eles tentaram matar uma ideia. Mas ideia não desaparece e eu quero lutar porque se existe uma quadrilha é da maracutaia que eles fizeram”, disse o petista.

Do lado de fora da carceragem, esperavam pelo ex-presidente a filha, Lurian, o neto Tiago, e a namorada de Lula, Rosângela da Silva. Lula disse ainda que sai da prisão “sem ódio” e que seu coração só tem espaço para o amor. O ex-presidente disse que em seus 74 anos, é preciso que seus adversários reconheçam que não há nada que o vença. Eles têm que saber que o nordestino, que nasceu em Garanhuns (PE), que passou fome e que veio para São Paulo e não morreu de fome até os 74 anos de idade, não tem nada que me vença.

Fonte: Metrópoles

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

error: Conteúdo protegido!!!